CBM anuncia mudanças para 2021

 CBM anuncia mudanças para 2021

Os pilotos e amantes de uma das modalidades mais apaixonantes do motociclismo podem esperar grandes mudanças para a próxima temporada. Isto porque a CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) trará melhorias no regulamento e no formato do Campeonato Brasileiro de Motocross, previsto para começar em abril de 2021.
Dentre as novidades está a maior visibilidade da competição. A entidade está em contato com empresas especializadas na promoção de campeonatos de nível nacional e internacional de motociclismo e também de automobilismo, a fim de firmar uma parceria para o próximo ano.
Com isso, diversos setores envolvidos direta e indiretamente com a disputa podem ser beneficiados. As áreas de marketing – responsável pelos materiais promocionais – e de transmissão ao vivo ganham ainda mais destaque. Nos locais das provas, duas praças, uma de alimentação e outra de negócios, podem tornar a experiência do público ainda melhor.
O objetivo é ampliar e melhorar o lado promocional do Motocross, profissionalizando ainda mais o esporte. Isso trará mais pilotos, mais público e mais empresas de dentro e fora do setor de motos. Os competidores e seus patrocinadores terão mais retorno e serão mais valorizados”, explica o presidente, Firmo Henrique Alves.
Como forma de enaltecer ainda mais os responsáveis pelo grande sucesso da modalidade – os competidores – a CBM retoma, em 2021, a ajuda de custo para o campeonato.
Ainda que as parcerias se concretizem, a parte técnica das competições continua a cargo da CBM. O diretor responsável pela modalidade é Wesley Magalhães, conhecido como Pakito.
Regulamento
Mudanças no regulamento também serão feitas a fim de estimular a participação dos pilotos, principalmente os que estão iniciando no esporte. A categoria Nacional-Pró, por exemplo, será composta somente de competidores amadores a partir de 2021.
É uma forma de incentivo aos motociclistas que estão no começo da carreira. Com isso, a CBM proporciona chances reais desses atletas se destacarem e subirem ao pódio. É uma forma mais justa de competição “, destaca Alves.
A MX1 também terá pequenas alterações. O pedido de documentação para a participação de pilotos estrangeiros na categoria terá mais exigências, seguindo ainda mais a risca as leis que regem o desporto brasileiro.
Calendário
O calendário de 2021 terá emoção garantida para o ano inteiro. Com mais etapas, os competidores e o público poderão viver mais vezes a emoção das pistas, além de tornar a corrida pelos pontos mais difícil e acirrada.
A competição que reúne as categorias Pró (MX1, MX2, MX3 e Elite MX) passará de sete para dez etapas distribuídas ao longo do ano. A competição amadora (50cc, 60cc, Nacional Pró, MXF, MXJr e MX2 Jr, MX4 e MX5) também será maior: de quatro vai para cinco etapas ao ano.
O regulamento também prevê a possibilidade de rodada dupla durante a temporada, assim como aconteceu em 2020.
As datas e locais previstos no calendário dependem da autorização das prefeituras, que estão em fase de transição, e estão sujeitas à alteração. Uma conversa prévia já foi iniciada entre a CBM e as cidades pré-definidas.
O calendário de 2021 será divulgado em breve.